Mini-RPGs baseados em Apocalypse World/Dungeon World em “Mecenato Digital”

paetronise-this-and-help-hack-the-world

Depois de impelido pelo atrevimento de alguns criadores de “jogos narrativos” da nossa praça queria partilhar aqui a minha iniciativa para a criação de mini-RPGs baseados na filosofia de jogos e regras do Apocalypse World/Dungeon World (e no seguimento no trabalho que tenho desenvolvido na linha do Mundo de Masmorras) por intermédio da plataforma de “mecenato digital” do Patreon.

Espero que gostem e que se quiserem apoiem ou divulguem à vontade. 🙂

Se tiverem curiosidade de como este processo funciona por favor comentem que responderei com agrado.

Cidade Obscura, um hack do Mundo de Masmorras inspirado em Mundo das Trevas

 Capa de Cidade Obscura

Depois de algum tempo, e com uma grande ajuda do Bruno Prosaiko e do seu engenho na ilustração e diagramação, gostava de partilhar convosco o “Cidade Obscura”.

Como relato na introdução deste projeto o Cidade Obscura ‘foi desenvolvido no âmbito da Semana do Editor do RPGenesis 2013 e a sua proposta era partir de uma base comum, um hack minimalista de fantasia clássica chamado “Mundo de Masmorras”, e alterá-la e expandi-la para fazer jus a uma linha de jogos de RPG bem popular dos anos 90 que abordava como poderia ser divertido “encarnamos os monstros e não os heróis” nas nossas sessões de jogo.’

A ideia é usarem-no para num instante jogarem fantasia urbana ao estilo “uma cidade moderna cheia de conspirações sobrenaturais” mas também numa perspetiva de “jogar para ver o que acontece e até expandir as regras no processo se for preciso”. 😉

Descarreguem-no aqui: http://tinyurl.com/cidadeobscura

E desde já obrigado pelo vosso interesse e espero que gostem de o vir a experimentar.

Horror e Fantástico – Jogos Narrativos na Ler Devagar

Poster do Evento "Horror e Fantástico - Jogos Narrativos na Ler Devagar"
O Grupo de Roleplayers de Lisboa, do qual eu faço parte, vai trazer a ficção de horror e fantástico à Ler Devagar no dia 26 de outubro de uma forma muito especial: pela via dos jogos narrativos.Estes jogos de sociedade juntam pessoas à volta de uma mesa para viverem intensas aventuras imaginárias, repartindo-se entre um encenador que controla o enredo e um conjunto de jogadores que dão vida aos protagonistas da aventura. O jogo narrativo alia assim o prazer de explorar um mundo imaginário com o prazer de dar vida a histórias do ponto de vista das personagens, autênticos heterónimos dos jogadores.

Convido-te assim a viem experimentar na Ler Devagar uma intensa sessão de jogos narrativos como Call of Cthulhu, Vampire, Maléfices, Kult, entre outros, inspirados pelas grandes ficções do horror e do fantástico, de Mary Shelley e Bram Stocker a H.P. Lovecraft, de Anne Rice a Clive Barker. No dia 26 junta-te a uma das mesas de jogo e dá corpo a uma personagem envolvida numa arrepiante aventura.

Mais informação acerca do evento nas seguintes ligações:

E se puderes dá um saltinho também nas seguintes páginas do Grupo de Roleplayers de Lisboa:

Mundo de Masmorras – versão minimalista do Dungeon World

Capa do Mundo de Masmorras

O que começou por ser uma vontade súbita de traduzir o “World of Dungeons” do John Harper, uma versão minimalista do RPG de fantasia medieval Dungeon World do Sage LaTorra e Adam Koebel (ele próprio uma adaptação Apocalypse World do Vicent Baker para um universo Dungeons & Dragons!), transformou-se neste “Mundo de Masmorras” que é si uma espécie de tradução/expansão/remistura/adaptação do original.

Com a ajuda mais que generosa do Julio Matos do ZK Studio conseguimos tornar realidade esta ideia em tempo recorde e torná-la num espécie de “RPG Expresso de Fantasia Medieval” como o Marcos Silva do maisRPG o tão prontamente batizou. Por outro lado ele até funciona como uma espécie de introdução ao Dungeon World (prestes  a ser lançado em português pela Secular Games) pois tem em essência algumas das suas ideias mais distintas.

De qualquer modo este é um pequeno documento de 12 páginas formato A5 o que permite que se o possa usar de improviso ou imprimir-se uma cópia para todos os jogadores à mesa e assim o usarem até como folha de personagem.

Folha de Personagem do Mundo de Masmorras

Podem descarregá-lo numa versão a cores ou a preto e branco.

Se vos aprouver, leiam-no, usem-no, alterem-no, reescrevam-no mas principalmente aventurem-se nos seus mistérios e tragam de volta convosco um belo saque… pois “o que interesse mesmo é o saque”. 🙂

 

Ludonautas na Terceira Terra!

Reparei que este blogue está a precisar de ser atualizado quanto ao que ando fazer nestas andanças dos RPGs de há uns meses para cá. 🙂  Mas por enquanto…

É com muito orgulho e alegria que vos posso anunciar que o Ludonautas pertence agora ao grande portal de podcasts sobre RPGs, Gaming e Cultura Pop em língua portuguesa, o “A Terceira Terra” .

Por agora o que esta mudança representa, além de uma espécie de retorno kármico pela influência que o trabalho do responsável deste excelente projeto, o Marcelo Dior, teve na criação do Ludonautas, não é muito significativa. Vamos manter por tempo indefinido o alojamento através do serviço do Podbean como sempre. Por outro lado quem costuma acompanhar o Ludonautas de certeza que vai notar os resultados um esmero diferente quer na apresentação como na divulgação do podcast.

De qualquer modo, convido-vos então em embarcar connosco no novo andamento da nossa viagem e a colocarem o seguinte feed nos vossos mapas:http://www.terceiraterra.com/category/ludonautas/feed/

Episódio 4 do podcast Ludonautas: Não ou a Vã Glória de Contrariar

Depois de vários meses de completa omissão já publicámos o quarto episódio do Ludonautas.  Desta vez  gravámos um episódio de cerca de uma hora com conversa animada e alguns interlúdios musicais.

Este episódio teve a participação da Ana Cláudia Silva, do Diogo Curado e do Ricardo Tavares e para minha surpresa fizemos uma boa abordagem ao tema em menos de uma hora.

Apesar de um um conjunto de problemas que arrastaram durante muito tempo este episódio, nomeadamente um equipamento que se avariou e que continha os detalhes necessários para voltar a instalar noutro computador o Powergramo, o programa que permite gravar as chamadas de grupo de Skype, e principalmente a minha azelhice, a edição foi bastante rápida devido a este ser um período de mais disponibilidade por parte de quem o edita e porque tenho um PC novo que acelera bastante a exportação dos formatos áudio no Audacity.

Desta feita temos um segmento de “notícias” bastante curto que não sei se é muito satisfatório. Tencionamos restringirmo-nos de futuro a um anúncio por pessoa para o mantermos mais dinâmico.

E não se encontrou um tema para esta nova época e provavelmente o podcast nunca vai ter efetivamente um agenda editorial tão organizada como deveria. Vamos ver como será de futuro.

Mesmo sem pauta acho que nos organizámos decentemente e ainda tivemos tempo de incluir alguns momentos genuinamente descontraídos que caraterizam o Ludonautas. Tivemos até uma certa banda-sonora providenciada pela Ana Cláudia Silva!

Continua-se a ter um nível bastante alto de ruído e suspeito que seja do meu microfone pois os restantes, e especialmente agora que o Diogo Curado tem um novo headset cortesia do Ricardo Tavares, mantiveram uma boa qualidade vocal durante todo o episódio.

De qualquer modo se tiverem sugestões ou críticas podem mandar sempre um e-mail para ludonautas arroba gmail ponto com

Ah e já agora convido-vos a ouvirem também o Euro-episódio do Vozes da Terceira Terra, um podcast do Marcelo Dior que é basicamente o autor mais prolífico de podcasts de RPG em língua portuguesa e promotor de um portal cheio de podcasts brasileiros sobre RPG e cultura Pop. Eu e o Ricardo Tavares aceitámos o generoso convite do Marcelo em participar de um episódio só sobre o RPG noutros países ocidentais, incluindo Portugal, Alemanha e a Austrália.

Espero que gostem das sugestões e boas viagens!

Episódio 3 do podcast Ludonautas: Quem Pôs o Romance no meu RPG?

Depois de vários meses de interrupção lá gravámos o terceiro episódio do Ludonautas.  Desta vez  gravámos um episódio de 1h05m com opiniões apaixonadas e o caos profano do costume.

Tivemos casa cheia desta vez com a participação da Ana Cláudia Silva, do Diogo Curado e do Ricardo Tavares.  E apesar de termos batido o recorde de participantes conseguimos que a conversa acerca do romance nos RPGs, e apesar de interessante, durasse menos tempo que o episódio gigante anterior.

Este episódio requereu alguma paciência na edição devido a falhas de recuperação do ficheiro anterior no Audacity. Basicamente eu uso o projeto do episódio anterior como modelo para criar um novo episódio pois tenho a maioria dos clipes de som em várias trilhas diferentes e tudo o mais. Talvez devesse pré-montar muitas delas e fundir numa só.

O formato dos dois segmentos, um de notícias e curiosidades, e outro sobre o tema principal mantém-se mas estou a equacionar mudá-lo para não só encurtar a duração total de cada um como também para não “datar” demasiado os próprios episódios se houver um grande espaço de publicação entre eles.

Além de que a “primeira época” que se tem baseado numa certa “paixão” nos RPGs está provavelmente a chegar ao fim do seu potencial. Seria interessante mudar de tema principal e fazer algumas mudanças no formato e até banda-sonora.

No segundo segmento, notei que continuámos um pouco desorganizados na linha de conversa o que por vezes não faz muita justiça ao tema.  Surgiu a hipótese de se usar uma pauta baseada em Google Docs durante cada episódio o que provavelmente poderia ajudar ainda mais a abordar todas as vertentes de cada tema. Por outro lado o facto de que já conseguimos ter uma conversa animada e com algum conteúdo não deixa de ser um testemunho à nossa capacidade de improvisação.

Uma das coisas a melhorar bastante será a qualidade do som que ainda apresenta ruídos (e desta vez alguns ecos) que são bastante difíceis de reduzir ou até eliminar.

De qualquer modo se tiverem sugestões ou críticas podem mandar sempre um e-mail para ludonautas arroba gmail ponto com

Aconselho-vos a ouvirem também o episódio especial do 2º aniversário do Jogador-Sonhador, um podcast português do Ricardo Tavares sobre RPG. Este episódio tem várias participações especiais e de certeza que vos despertará curiosidade para ouvirem todos os outros 47 episódios anteriores, eh eh.

Ah e já agora convido-vos a ouvirem também o episódio 6 do +RPG, um podcast do Marcos Silva só sobre RPGs em língua portuguesa onde eu, ele e o Cochise César falamos do GaragemRPG, um fórum que incentiva a criação de novos RPGs em Língua Portuguesa. Falamos também do papel intelectual dos RPGs , dos indie e dos futuros deste hobby.

Espero que gostem das sugestões e boas viagens!