Episódio 4 do podcast Ludonautas: Não ou a Vã Glória de Contrariar

Depois de vários meses de completa omissão já publicámos o quarto episódio do Ludonautas.  Desta vez  gravámos um episódio de cerca de uma hora com conversa animada e alguns interlúdios musicais.

Este episódio teve a participação da Ana Cláudia Silva, do Diogo Curado e do Ricardo Tavares e para minha surpresa fizemos uma boa abordagem ao tema em menos de uma hora.

Apesar de um um conjunto de problemas que arrastaram durante muito tempo este episódio, nomeadamente um equipamento que se avariou e que continha os detalhes necessários para voltar a instalar noutro computador o Powergramo, o programa que permite gravar as chamadas de grupo de Skype, e principalmente a minha azelhice, a edição foi bastante rápida devido a este ser um período de mais disponibilidade por parte de quem o edita e porque tenho um PC novo que acelera bastante a exportação dos formatos áudio no Audacity.

Desta feita temos um segmento de “notícias” bastante curto que não sei se é muito satisfatório. Tencionamos restringirmo-nos de futuro a um anúncio por pessoa para o mantermos mais dinâmico.

E não se encontrou um tema para esta nova época e provavelmente o podcast nunca vai ter efetivamente um agenda editorial tão organizada como deveria. Vamos ver como será de futuro.

Mesmo sem pauta acho que nos organizámos decentemente e ainda tivemos tempo de incluir alguns momentos genuinamente descontraídos que caraterizam o Ludonautas. Tivemos até uma certa banda-sonora providenciada pela Ana Cláudia Silva!

Continua-se a ter um nível bastante alto de ruído e suspeito que seja do meu microfone pois os restantes, e especialmente agora que o Diogo Curado tem um novo headset cortesia do Ricardo Tavares, mantiveram uma boa qualidade vocal durante todo o episódio.

De qualquer modo se tiverem sugestões ou críticas podem mandar sempre um e-mail para ludonautas arroba gmail ponto com

Ah e já agora convido-vos a ouvirem também o Euro-episódio do Vozes da Terceira Terra, um podcast do Marcelo Dior que é basicamente o autor mais prolífico de podcasts de RPG em língua portuguesa e promotor de um portal cheio de podcasts brasileiros sobre RPG e cultura Pop. Eu e o Ricardo Tavares aceitámos o generoso convite do Marcelo em participar de um episódio só sobre o RPG noutros países ocidentais, incluindo Portugal, Alemanha e a Austrália.

Espero que gostem das sugestões e boas viagens!

Episódio 3 do podcast Ludonautas: Quem Pôs o Romance no meu RPG?

Depois de vários meses de interrupção lá gravámos o terceiro episódio do Ludonautas.  Desta vez  gravámos um episódio de 1h05m com opiniões apaixonadas e o caos profano do costume.

Tivemos casa cheia desta vez com a participação da Ana Cláudia Silva, do Diogo Curado e do Ricardo Tavares.  E apesar de termos batido o recorde de participantes conseguimos que a conversa acerca do romance nos RPGs, e apesar de interessante, durasse menos tempo que o episódio gigante anterior.

Este episódio requereu alguma paciência na edição devido a falhas de recuperação do ficheiro anterior no Audacity. Basicamente eu uso o projeto do episódio anterior como modelo para criar um novo episódio pois tenho a maioria dos clipes de som em várias trilhas diferentes e tudo o mais. Talvez devesse pré-montar muitas delas e fundir numa só.

O formato dos dois segmentos, um de notícias e curiosidades, e outro sobre o tema principal mantém-se mas estou a equacionar mudá-lo para não só encurtar a duração total de cada um como também para não “datar” demasiado os próprios episódios se houver um grande espaço de publicação entre eles.

Além de que a “primeira época” que se tem baseado numa certa “paixão” nos RPGs está provavelmente a chegar ao fim do seu potencial. Seria interessante mudar de tema principal e fazer algumas mudanças no formato e até banda-sonora.

No segundo segmento, notei que continuámos um pouco desorganizados na linha de conversa o que por vezes não faz muita justiça ao tema.  Surgiu a hipótese de se usar uma pauta baseada em Google Docs durante cada episódio o que provavelmente poderia ajudar ainda mais a abordar todas as vertentes de cada tema. Por outro lado o facto de que já conseguimos ter uma conversa animada e com algum conteúdo não deixa de ser um testemunho à nossa capacidade de improvisação.

Uma das coisas a melhorar bastante será a qualidade do som que ainda apresenta ruídos (e desta vez alguns ecos) que são bastante difíceis de reduzir ou até eliminar.

De qualquer modo se tiverem sugestões ou críticas podem mandar sempre um e-mail para ludonautas arroba gmail ponto com

Aconselho-vos a ouvirem também o episódio especial do 2º aniversário do Jogador-Sonhador, um podcast português do Ricardo Tavares sobre RPG. Este episódio tem várias participações especiais e de certeza que vos despertará curiosidade para ouvirem todos os outros 47 episódios anteriores, eh eh.

Ah e já agora convido-vos a ouvirem também o episódio 6 do +RPG, um podcast do Marcos Silva só sobre RPGs em língua portuguesa onde eu, ele e o Cochise César falamos do GaragemRPG, um fórum que incentiva a criação de novos RPGs em Língua Portuguesa. Falamos também do papel intelectual dos RPGs , dos indie e dos futuros deste hobby.

Espero que gostem das sugestões e boas viagens!

Episódio 2 do podcast Ludonautas: Amores Possíveis e Impossíveis entre RPGs

Depois de um mês de intervalo lá gravámos o segundo episódio  do Ludonautas que assumiu provavelmente uma duração proporcional às saudades que tínhamos de o gravar desde o primeiro episódio, eh eh.  Ou seja gravámos um episódio gigantesco de 2h30m (!) com bastantes referências aleatórias, caoticidade semi-controlada e até alguma profanidade. 🙂

A equipa do último episódio alterou-se ligeiramente pois além de mim e do  Ricardo Tavares do podcast Jogador-Sonhador juntou-se a nós a Ana Cláudia Silva. Esta última contribuiu bastante para o ambiente efusivo e conteúdo acutilante contido neste episódio.

O formato dos dois segmentos manteve-se mas dada a necessidade de se ouvir e avaliar as submissões do concurso “A Primeira Vez”  e outras distracções o primeiro segmento das notícias, curiosidades e impressões ficou só por si com 1h, o que daria um episódio perfeitamente aceitável. Arrisquei e desencantei uns efeitos sonoros para as intervenções da Raquel e do Nuno e no processo acrescentei mais um separador. Dadas algumas críticas decidi retirar a música de fundo (desculpa, banda-sonora remixada do videojogo Dune II!) mantendo-a só como introdução e fecho do episódio.

O segundo segmento, onde iríamos falar sobre aqueles RPGs que adoramos e a nossa vontade em querer jogá-los, extendeu-se tanto com as referências e duplas referências rpgísticas que ficou de um tamanho obsceno tal que duvido alguém consiga ouvir todo de seguida no decurso da sua vida normal. 😐

A melhorar fica então a gestão do tempo de gravação e um maior edição dos ruídos de fundo que realmente tornam a audição mais difícil.

Qualquer sugestão ou crítica podem mandar um e-mail para ludonautas arroba gmail ponto com

Ah e já agora convido-vos a ouvirem também o  último episódio do podcast do Café Imaginário do blogue Pensotopia, onde eu e Ricardo falámos com o Marcos e o Daniel acerca da “Aliança RPG” (um esforço conjunto de aproximar os roleplayers e RPGs brasileiros e portugueses) e de RPG online.

Aconselho-vos a ouvirem também o episódio de estreia do +RPG, um podcast do Marcos só sobre RPGs em língua portuguesa onde se fala do Violentina, o RPG “tarantinesco” do Eduardo Caetano e o primeiro a RPG em língua portuguesa a ser financiado via crowdfunding (e de momento já um retumbante sucesso!).

E senão estiverem já fartos de publicidade descarada e da minha voz ouçam se quiserem a minha participação no Papo do Mestre, o podcast do blogue RPG do Mestre, onde no episódio 32, falámos dos RPGs (e do gaming) em Portugal. Obrigado desde já ao Fernando e Vinícius quanto ao generoso convite!

Espero que gostem das sugestões e boas viagens!

RPGénesis 2011 – Cria o teu próprio RPG!

O RPGénesis desafia-te a escreveres o teu próprio RPG!
(visita também este tópico no fórum GaragemRPG)

Apresentação | Programa | FAQ | Recursos | Divulgação

Passado um ano, o RPGénesis (RPGênesis em português do Brasil) regressa para mais uma vez desafiar-nos a criar RPGs originas e em língua portuguesa. Este evento online é uma iniciativa da comunidade para a comunidade com o objetivo de criar jogos novos que todos possamos experimentar nos próximos encontros de roleplayers. É inteiramente gratuito e aberto a todos os que gostam de RPGs sendo dedicado especialmente aqueles que sempre tiveram ideias para o seu próprio jogo mas nunca chegaram a pôr-las no papel.

O desafio é este: escrever um RPG em sete dias com um mínimo de cinco mil palavras. Cada um escreve o seu próprio jogo, mas todos começamos à meia-noite do dia 13 de Agosto e terminamos à meia-noite do dia 20 com um RPG pronto a ser experimentado. Durante estes sete dias, apoiamos-nos mutuamente colocando online os nossos textos e motivando-nos a vencer este desafio. A vitória neste evento é conseguida pelo gosto de cumprir o objectivo.

Podes entrar no RPGénesis como participante e/ou como patrocinador:

Como participante, vais aceitar este desafio e criares o teu RPG escrevendo-o com um mínimo de cinco mil palavras, vais partilhar as tuas ideias e apoiares os outros participantes para que atravessem a meta contigo.

Como patrocinador, antes do desafio começar, vais anunciar um ou vários prémios que vais oferecer como recompensa para o autor que criar o texto que, na tua opinião, melhor satisfaça os critérios que tu estipulares. No final do desafio, vais ler atentamente todos esses textos, anunciares o teu premiado e contactá-lo para lhe entregares o merecido prémio.

Este é o programa para o mês de Agosto:

De dia 1 a 13 – Preparar!

Participantes e patrocinadores enviam um e-mail para o rpg3nesis arroba gmail ponto com confirmando de que forma vão entrar no evento. Aproveitam para esclarecer qualquer dúvida que tenham.

É recomendado que se registem tanto no site http://www.abreojogo.com como no fórum do http://www.garagemrpg.com.br para se envolverem no evento tanto com os roleplayers portugueses como com os brasileiros.

Os patrocinadores anunciam aquilo que querem oferecer e os critérios que vão seguir colocando um post no seu blogue do AbreoJogo e/ou um tópico na secção Miscelânia do fórum GaragemRPG. Tenham em conta que os prémios podem ser oferecidos tanto aos participantes do Brasil como aos de Portugal.

Os participantes anunciam as suas ideias para o RPG que vão escrever no seu blogue do AbreoJogo e/ou na secção Labor do fórum GaragemRPG. É muito importante planearem previamente o que vão fazer para que durante a semana do desafio se possam concentrar em escrever, escrever, escrever!

Esta é a altura para falar de design de RPGs em geral e do vosso jogo em particular. Não deixem estas ponderações para o meio da semana em que vão estar a escrever. Podem e devem ter uma ideia praticamente completa de todo o vosso RPG, setting e sistema, antes de se lançarem ao desafio. A semana que se segue deve ser usada ao máximo para escrever, escrever, escrever e não para parar, pensar e pôr em questão o vosso trabalho.

Também nesta altura, os patrocinadores devem definir ao certo as suas ofertas e os seus critérios. Alguém que tenha jeito para desenhar pode, por exemplo, oferecer-se para fazer artwork para o jogo que o inspirar mais. Qualquer mestre-jogo pode se oferecer para testar o RPG que ele quiser premiar. Qualquer pessoa pode-se oferecer para experimentar o jogo e publicar uma review para o RPG que quiser escolher. Prémios podem ser encomendados de lojas online para serem entregues em Portugal ou no Brasil.

Dia 13, ás onze da noite: Send-off Party através de Skype
Quem quiser pode aparecer e juntar-se a uma grande conference call para fazermos a contagem decrescente até à hora zero do dia 14! Os patrocinadores e os participantes irão receber os contactos dos organizadores deste evento para nos podermos juntar todos por Skype.

De dia 14 a 20 – Escrever!

O objetivo não é só chegar à meta, é rebentar com ela a toda a velocidade! Cinco mil palavras (que dá umas meras 715 por dia) é o mínimo para vencer este desafio. Os participantes podem distribuir o seu tempo conforme acharem melhor, não se esquecendo de se apoiarem mutuamente conforme puderem. Os patrocinadores também poderão acompanhar os textos que forem sendo colocados online, mas devem guardar as suas avaliações para depois desta semana. O importante nestes sete dias é manter acesa a vontade de escrever e não duvidarem daquilo que estão a fazer.

Para aproveitar o poder da nossa comunidade online, os participantes devem ir publicando os seus textos diariamente no AbreoJogo e/ou no GaragemRPG para irem recolhendo motivação e feedback de toda a gente, mesmo de quem não está envolvido diretamente no RPGénesis. Para isso, é sugerido que todo o material produzido nestes sete dias seja licenciado por Creative Commons (http://creativecommons.org/), o que não impede o autor de posteriormente rever o seu RPG e publicar-lo conforme quiser.

Deste modo, a participação de cada um é validada de forma natural pela comunidade. Além do mínimo das cinco mil palavras inéditas, cada texto deve ser um RPG em língua portuguesa pronto a ser experimentado, sendo que o setting necessita de ser original e o sistema pode ser novo ou pode ser aproveitado de alguma licença aberta, como d20, Fate, Busca Final, Savage Worlds ou Dragão-Mestre. Participando online e publicando o seu texto para todos lerem, cada participante atinge publicamente o objetivo de criar um RPG e é dado com um vencedor do RPGénesis, obtendo o título de RPGénio(a).

No entanto, esta partilha pública não é obrigatória. Os participantes que só quiserem mostrar aquilo que escrevem a outros participantes e aos patrocinadores do RPGénesis poderão fazer-lo através de uma mailing-list do RPGénesis (um Google Group). Por outro lado, se preferirem enviar o seu texto apenas para os organizadores deste evento, poderão certamente fazer-lo através de e-mail, mas isso significa que a sua participação não é validada automaticamente pela comunidade e não é elegível para qualquer patrocínio.

Acima de tudo, o tempo desta semana deve ser usado para escrever, deixando para depois as edições, revisões, testes, correções, paginações, formatações, ilustrações, traduções, etc. Se o RPG estiver pronto com tempo de sobra, os dias restantes devem ser aproveitados para escrever mais algum texto que permita a quem quiser experimentar este jogo fazer-lo facilmente numa só sessão sem muita preparação. Nesta fúria de escrita, é perfeitamente válido escrever até deixar uma frase a meio e submeter o tópico do sétimo dia antes da badalada da meia-noite do dia 20 de Agosto.

De dia 21 a 31 – Festejar!

Este é o período no qual se anunciam e premeiam os RPGénios do RPGénesis 2011! Até ao final de Agosto, os patrocinadores devem anunciar os seus premiados enviando-lhes as suas ofertas e/ou comprometendo-se a colaborar com os RPGs que escolherem. Neste mesmo período, os participantes devem celebrar, descansar e pensarem no que poderão vir a fazer com os seus RPGs mediante as sessões de teste e os patrocínios que obtiverem. A participação no RPGénesis tanto pode ser vista como um desafio a cumprir dentro daquela semana como uma faísca que poderá levar à publicação de um RPG.

Esta também será a altura de nós todos olharmos para trás e pensarmos no que poderemos fazer melhor para 2012. O RPGénesis é um evento organizado em 2011 por Ricardo Tavares, Ana Cláudia Silva e Marcos Antônio, mas a iniciativa verdadeiramente pertence à comunidade de roleplayers portugueses e brasileiros. Esperamos que, em cada ano, tenhamos cada vez mais participantes e patrocinadores.

 

FAQ – Perguntas Frequentes

Posso já começar a pensar num jogo mas não a escrever-lo é isso?
Exatamente. Contamos contigo!

É requerido uma definição muito específica do setting, ou pode ser apenas umas notas, ou pode não ter um de todo?
A condição é o RPG ser minimamente jogável unicamente a partir do texto. Se isso for possível de se fazer sem um setting propriamente dito, força.

Já existem alguns critérios definidos para o que será considerado “o melhor jogo” e, se sim, irão ser apresentados ao público?
Isso cabe inteiramente aos patrocinadores. Do ponto de vista do evento, ganham todos os que cumprirem com as condições estabelecidas e todos são vencedores.

Suponho que os membros do júri sejam pessoas que não participam no concurso, mas são pessoas que já tiveram contacto com RPGs ou nem por isso?
Este evento não é um “concurso” nem tem nenhum “júri”. Tem sim organizadores que naturalmente já teem alguma experiência com RPGs, sim.

Quem são os organizadores deste evento? Eles também podem participar?
São o Ricardo Tavares, a Ana Cláudia Silva e o Marcos Antônio. Todos eles podem ser participantes e/ou patrocinadores sujeitando-se ás mesmas regras que toda a gente. A sua função é ajudarem a que o evento aconteça acompanhando a sua evolução através de e-mail, do abreojogo e do GaragemRPG e promovendo-o conforme puderem.

O jogo deve ter em consideração se é para pessoas que já conheçam RPGs ou nem por isso?
Não, é tema livre, propósito livre, setting livre, tudo livre, desde que possa ser considerado um RPG.

Existe alguma limitação em termos de apresentação/formato do texto?
Basta que seja possível ler-lo e seleccionar-lo para que quem quiser possa verificar a contagem das palavras.

As 5.000 são texto de regras+setting ou também contam com capa, agradecimentos, créditos, etc.?
Tudo conta desde que o texto evidencie um esforço da parte do autor para escrever aquilo que ele considera ser um RPG que possa ser jogado por outras pessoas.

Então e podemos pensar antes num setting para um sistema de regras já existente?
Sim, desde que esse sistema esteja disponível em licença aberta e as suas regras sejam escritas num texto inédito em língua portuguesa, ou seja, não podes escrever só o setting e mandar o leitor ver as regras noutro lado, bem como não podes só fazer um copy-paste do sistema para dentro do teu texto.

Eu gostava de escrever um RPG, mas não sei como é que isso se faz 😦
Tudo começa na experiência que tens como mestre-jogo, jogador ou leitor de RPGs. Cria o jogo que tu gostavas de ler e de jogar. Diz-nos quais são as tuas ideias e todos os participantes e patrocinadores irão tentar ajudar-te.

Este evento é para Roleplaying-Games ou para Story-Games?
A questão do que é ou não um RPG é indiferente para este evento, pois qualquer jogo que razoavelmente possa ser considerado um RPG pelo seu autor é dado como válido. À partida, está estabelecida uma razoável margem de manobra para os participantes fazerem o que quiserem.O importante é evitar situações de pessoas que não participem por não terem a certeza se o seu jogo será aceite.

Mas é preciso inscrevermo-nos de antemão?
Sim, é necessário enviar um e-mail para o rpg3nesis arroba gmail ponto com o mais cedo possível para sabermos com quem podemos contar como participantes e patrocinadores. O e-mail será usado para garantir o contacto entre todos os envolvidos neste evento.

Tem mesmo de ser um rpg? Não pode ser só um universo de jogo?
O objectivo deste evento é promover a produção de RPGs em língua portuguesa que possam desde logo ser jogados num próximo encontro de roleplayers. Para isso poder acontecer, têem de ser RPGs completos – mesmo que tenhas de juntar uma ambientação original a um sistema de licença aberta adaptado ao teu jogo.

Qual é exactamente a hora limite para terminar e entregar o meu texto?
Os textos teem de ser publicados online (ou enviados por mail) até à meia-noite do dia 20 de Agosto, hora local do participante.

Como é que alguém controla que o participante realmente escreve o jogo naquela semana, em vez de começar a trabalhar no mesmo desde a data do anúncio do concurso?
Este evento é um desafio do participante contra ele ou ela própria. Se tens que mentir para vencer, então já perdeste, mesmo que mais ninguém saiba, pois o prazer deste evento está em escrever com outras pessoas que também enfrentam o mesmo desafio.

Como é que correu o RPGénesis do ano passado?
Num formato algo diferente, cinco RPGs originais foram criados numa semana, com uma média superior a dez mil palavras entre os vários textos: http://bit.ly/bVpY5E

 

Recursos – Links Úteis

http://www.baara.com/q10/
O Q10 é um simples programa para escrever texto sem distrações (mantém a contagem das palavras)

http://wiki.rpg.net/index.php/Open_Game_Systems
Uma lista de sistemas de RPG em licença aberta disponibilizado pela RPG.net

http://masterplanpodcast.net/
Um dos melhores podcasts sobre o design de RPGs

Divulgação – Promove o RPGénesis!

Espalha o link para este anúncio pela internet e desafia os teus amigos a participarem contigo. Combina com eles encontros na tua cidade para, na semana do desafio, estarem juntos a escrever os vossos RPGs.

O RPGénesis será acompanhado e promovido pelo podcast Jogador-Sonhador (http://jogadorsonhador.podbean.com) e pelo site Pensotopia (http://pensotopia.com.br/).

Episódio de estreia do podcast Ludonautas: Nos RPGs há sempre uma Primeira Vez

Depois de alguns encontros e desencontros, tentativas infrutíferas de gravação, uma gripe debilitante e um aniversário exaustivo heis que se estreou então o primeiro episódio “oficial” do Ludonautas, um “podcast descontraído e opinativo sobre Roleplay a várias vozes”, eh eh.

Continuámos com o formato em dois segmentos, o primeiro com notícias e impressões várias relativas e o segundo com o tema em si. Neste caso o desenvolvimento do tema, “As Primeiras Vezes do RPG”, foi bastante mais subjectivo e pessoal devido a relatar-se diretamente às nossas experiências pessoais. Dada a duração do episódio (um hora e meia? uufff!) não sei se os ouvintes aguentarão tanta dose concentrada de “egocentrismo”, especialmente com a minha tendência a dizer umas piadas de vez em quando… Por outro lado já inserimos um separador entre os dois segmentos o que acaba por criar uma pausa breve entre o fluir da conversa no episódio. Talvez para o próximo se arranje mais um separador!

A equipa do último episódio ( incluindo a minha pessoa, o Ricardo Tavares do podcast Jogador-Sonhador e o Diogo Curado que é igualmente co-organizador dos Encontros Mensais de Roleplayers de Lisboa) manteve-se o que revelou um maior à vontade na discussão e um conjunto de referências prévias que espero que sejam mais interessantes do que familiares.

Durante o desenvolvimento do tema descobrimos também que são os bonzinhos e os mauzinhos deste “filme” e que existem referências mundanas neste podcast que apesar de eruditas tendem a não desaparecer. 🙂

Durante o episódio referimos a realização do 4º Encontro Mensal de Roleplayers de Lisboa. Se quiserem participar para jogar ou conviver um pouco consultem também a página do evento no Facebook!

Qualquer sugestão ou crítica podem mandar um e-mail para ludonautas arroba gmail ponto com

Espero que gostem e boas viagens!

Jogador-Sonhador e Sopa do RPG num podcast sobre o Futuro dos RPGs

E lá que se passou um ano desde que participei no Jogador-Sonhador, um podcast português sobre RPG da autoria do Ricardo Tavares. Nesse episódio, o dezasseis, o tema foi o passado, presente e futuro do World of Darkness, um universo fictício multi-jogos de horror pessoal e conspiração sobrenatural.

E depois deste tempo todo manteve-se sempre a vontade mútua, reforçada pelo eterno apoio do Ricardo ao projeto de um outro podcast português de RPG, o Ludonautas,  e que tem até participado na suas gravações como um dos “viajantes”, de uma nova participação no Jogador-Sonhador.

Desta vez, no episódio 39 (uau!, já se gravaram tantos?), falámos não só da última grande novidade do World of Darkness, que remete para o episódio que tínhamos gravado antes, como também falámos do futuro dos RPGs. Falámos bastante sobre Virtual Tabletops e quadros interativos, distribuição digital, licenças abertas, crowdfunding, o potencial dos tablets e smartphones e sobre os novos e futuros jogadores. A conversa entusiasmou-se e ainda gravámos 1h30m batendo o anterior recorde. Será que a Internet aguenta um episódio tão grande cheio de especulação? Será que a CIA vai invadir as nossas casas à procuras de manuais de subversão juvenil para a nossa luta imaginária?!

Talvez não dado que a minha voz é obscurecida ocasionalmente para tornar mais difícil à Eidolon de localizar as ideias radicais nela contida. 😀

No entanto espero que todos apreciem ouvi-lo e se quiserem comentem-no aqui, no site do Jogador-Sonhador no podbean ou indo a  este tópico específico no TPK Brasil.

Já agora não estranhem a omissão da realização do 3º Encontro Mensal de Roleplayers de Lisboa. Ele realizou-se mas simplesmente não postei aqui o anúncio. Mas posso-vos dizer que além de um número de participantes que tem vindo a crescer e diversificar-se a novidade desta vez foi que jogámos apenas criações portuguesas da pessoal da comunidade. Mas acerca disso provavelmente escreverei um post mais extenso e detalhado. 🙂

Ajudem o Japão e joguem um RPG de Shinigami

Ricardo Tavares, criador do podcast português sobre RPGs, Jogador-Sonhador, e autor do “Sangue-frio – Histórias dos Últimos Vampiros“, de que já falei anteriormente aqui no blogue, lançou hoje uma iniciativa solidária em prole do Japão, que nos últimos dias tem sido assolado pelas consequências trágicas de uma catástrofe natural sem precedentes.

Ao contribuírem com um donativo para a Cruz Vermelha Japonesa serão presenteados com a versão PDF do seu RPG “Shinigami – Contos do Deuses da Morte ” ainda em desenvolvimento e playtest. Como o nome indica este é um jogo de RPG onde os jogadores assumem o papel de Deuses da Morte Japoneses semelhantes à simbologia ocidental da Morte como a Ceifeira, inspirado directamente em manga e séries de anime tais como Bleach e Death Note.

Se estiverem interessados basta seguirem as instruções que o Ricardo transcreveu no anúncio da primeira página do Abre o Jogo.