Ludonautas, um projeto português de Podcast sobre RPGs

Depois de algumas participações no Jogador-sonhador e depois de alguns tentativas frustradas a tentar gravar um monocast da Sopa do RPG, lancei finalmente o desafio aos fãs portugueses para em conjunto gravarmos um podcast descontraído e a várias vozes.

O primeiro ensaio deste novo podcast, o Ludonautas, decorreu em puro improviso e auxiliado pela total generosidade e bravura do Rui Anselmo nascendo então o episódio zero só sobre Dark Sun na sua última edição, a de Dungeons & Dragons 4th Edition.

Este episódio é uma emissão bastante experimental e espero gravar nas próximas semanas um novo episódio (entre o zero e o um… um zero ponto cinco?!) com mais participantes e melhor qualidade.

De qualquer modo podem sempre ouvi-lo e comentarem por aqui com as vossas sugestões e críticas pelas quais desde já agradeço.

E toca a viajar pelos mundos da imaginação! 🙂

Anúncios

Encontro Nacional de Roleplayers – LeiriaCon 2011

Na LeiriaCon vamos juntar os vários fãs de jogos de RPG para convivermos e celebrarmos este hobby com algumas sessões de jogo e convívio. O encontro decorrerá na Quinta do Pinheiro, dias 29 a 30 de Janeiro a partir das 10h da manhã com interrupções para o almoço e jantar, encerrando ao Domingo às 20h. Gostava de convidar jogadores e Mestres de jogo para comparecer e organizar demonstrações de jogos e convívio de um modo geral.

Venham, tragam jogos e amigos.

Atreve-te a entrar nos mundos de imaginação onde tu és o jogo!

Calendário:

Sábado, dia 29 de Janeiro, 15h00m

Vampire: The Masquerade Revised Quickstart – vampiros gótico-punks em Gary, Indiana. Jogadores: de 2 a 3.

OU

Lady Blackbird – contrabandistas inter-galácticos em fuga. Jogadores: de 2 a 6.

Mais informações em:
http://www.spielportugal.org/leiriacon
http://www.abreojogo.com/LeiriaCon2011RPG

Sangue-frio: um RPG português

Sangue-frio – Histórias dos Últimos Vampiros” é um projecto português de RPG (ou Jogo de Simulação Narrativa segundo o seu autor) de Ricardo Tavares, criador do podcast Jogador-Sonhador. Classifico-o ainda como um projecto pois é um jogo em desenvolvimento cuja versão introdutória está disponibilizada gratuitamente na Lulu Press, aqui. Este documento tem a forma de um PDF a preto e branco, de 31 páginas e um design bastante utilitário pois a intenção desta versão (baptizada então de “Sangue-Frio: Noite das Bruxas”) era a de esta ser bastante compatível com o e-reader que o autor utilizou num primeiro playtest em Outubro do ano passado. O desenho da moldura de cada página, a sua numeração romana e o próprio fundo sugerem o design de cartas de tarô o que não deverá ser nada equívoco dado que, tal como escrevi anteriormente, o jogo baseia-se na execução um ritual vampírico onde os últimos destes seres sobrenaturais, residentes neste fim-de-mundo que é Portugal (a verdadeira finisterra no que lhes diz respeito) tentam lembrar-se do seu passado, depois de um longo período de torpor, recorrendo aos oráculos de um baralho de cartas e um diário escrito por um leal servo vampírico.

Continuar a ler

Jogador-Sonhador e Sopa do RPG num podcast sobre o Mundo das Trevas

Finda a minha primeira participação num podcast (no episódio onze do podcast Jogador-Sonhador de Ricardo Tavares sobre Warhammer Fantasy Roleplay 3rd Edition) tenho que admitir que se afigurou na minha mente a vontade de repetir a experiência. O Ricardo revelou-se um excelente anfitrião e grande moderador de uma conversa extensa cheia de troca de ideias e em jeito de review. Fomos conversando on-line sobre essas e outras experiências (dado quão se revelaram interessantes os diferentes relatos do grupo de convidados desse ciclo específico de episódios) e acabámos por decidir em fazer mais um episódio a duas vozes.

Neste episódio, o dezasseis, o tema mais que central foi o do World of Darkness, esse universo fictício de RPG da White Wolf Game Studios que já vai na sua segunda iteração e que tem como base um reflexo negro de horror e conspiração mística do nosso próprio mundo onde cada jogador se revela ser uma das figuras clássicas dos filmes, literatura e outras fontes do fantástico ocidental, tal como vampiros, lobisomens e bruxos, de entre outros. Durante a nossa conversa de 1h13 abordámos bastantes tópicos em jeito de retrospectiva e chegámos até a especular qual seria o futuro deste na indústria e no apreço dos fãs de RPG.

Nos primeira parte falámos de como e porque começámos a jogar Vampire: the Masquerade e das impressões com que ficámos de um primeiro contacto com o World of Darkness. Discorremos sobre vários aspectos desta primeira versão de WoD culminando o fim da primeira parte na referência ao Time of Judgement, o evento editorial que encerrou este universo com um possível fim apocalíptico.
Na segunda parte, passados cerca de 33 minutos da emissão, abordámos então a nova versão do Mundo das Trevas, e falámos acerca da sua origem, das suas mudanças face à versão anterior, do seu estado actual em termos de publicações dada a recente aquisição da editora por uma empresa de videojogos e aonde possivelmente o advento do World of Darkness MMO poderá levar este universo a um novo rumo.

Portanto tragam as lanternas e os aparelhos auditivos pois fala-se de muita escuridão e ouve-se mal de vez em quando já que o Skype e a ligação de internet não ajudaram muito. Foi pena a qualidade do som não ter ficado tão boa como a da primeira vez!

Espero que todos apreciem ouvi-lo e se quiserem comentem-no aqui, no site do Jogador-Sonhador no podbean ou indo a  este tópico específico no tpkbrasil.net.

Para os olhos mais fechados: Changeling e o Sonhar

Algo que encontrei perdido num blogue meu já abandonado, adaptado de um artigo original de Bruno Gonçaves Canato:

Um changeling é um ser de contrastes – uma alma feérica presa num corpo humano, que cultiva o Glamour, a energia básica dos sonhos e da criatividade, para resistir ao frio da Banalidade, a descrença humana no mágico e no transcendental. Contudo a exposição prolongada ao Glamour pode levar ao Desvairo, a perda da razão e existência humana, e a inevitável exposição à força da Banalidade conduz igualmente à Ruptura, a obliteração da alma feérica. Como se isso não bastasse para que um changeling fosse um ser dividido, todos os Kithain – o nome ao qual respondem – têm um lado Seelie e outro Unseelie, as duas Cortes a que estes prestam fidelidade e são muito mais do que meras instituições sociais.

Os changelings vivem uma realidade dupla. Mesmo antes de passarem pela Crisálida – evento que desperta a sua alma feérica adormecida no seu corpo mortal – os changelings têm ocasionalmente visões de coisas que “não estão realmente lá”, uma esfera da realidade além da que os outros habitantes do Mundo das Trevas são capazes de percepcionar. Esta é a realidade quimérica, formada de sonhos, esperanças, medos, sentimentos e que, mesmo num mundo cada vez mais Banal, ainda existe em inúmeros lugares. A realidade quimérica é percepcionada pelos changelings ao mesmo tempo que a realidade mundana – não é equívoco então que muitos mortais ou sobrenaturais considerem-nos aéreos e distantes.

Contudo, não é só a realidade quimérica e a mundana que se sobrepõem na vida de um changeling. Embora tenha que cumprir todas as obrigações rotineiras que um mortal normal tenha – teoricamente – este insere-se também numa sociedade Kithain estratificada, de carácter feudal e que distingue a nobreza da plebe, rege-se por títulos, códigos e intrigas, tendo como princípio a manutenção das Propriedades Livres, locais mágicos onde um Lumieiro aquece os changelings com Glamour.

Changelings dividem-se, além de por seus Aspectos – que demonstram as suas faixas etárias – e por suas Cortes – atrás referidas -, em kiths, as raças lendárias de fadas. A principal divisão de kiths é entre os nobres – basicamente os sidhe – e os outros plebeus, os outros oito kiths mais comuns – boggans, eshus, nockers, pooka, redcaps, sátiros, sluagh e trolls. Cada kith, curiosamente, tem uma espécie de comportamento padrão e também uma aparência quimérica recorrente – o seu Semblante Feérico – tal como Direitos Inatos e Fraquezas que lhes são naturais.

Os Kithain são capazes não só de percepcionarem o todo da realidade como também a capacidade de acederem a uma espécie de plano paralelo, o Sonho, o conjunto de todos os sonhos, esperanças e temores da humanidade. Este plano, apesar de muitas vezes estar conectado à Umbra, não faz parte dela, e é o berço de todas as possibilidades dentro do Mundo das Trevas, podendo abrigar tanto maravilhas como terrores antigos.

Existem muitas maneiras de manipular o Glamour. A mais conhecida – e talvez mais poderosa – é a criação de Cantrips, a combinação de Artes – o potencial concretizado de todas as possibilidades mágicas do Sonho – com os Reinos – aspectos da realidade com os quais os Kithain têm afinidade. Os efeitos dessa combinação variam entre si e vão desde a criação de maldições e de ilusões à manipulação do destino. Há também a possibilidade de se fazer um Apelo ao Fado, o que permite a um changeling materializar o seu Semblante Feérico no mundo mortal, e também o poder de tecer um Encantamento, que permitirá a um ser não-feérico percepcionar o Sonho e interagir com esta realidade quimérica. Todos estes poderes, contudo, estão sujeitos aos efeitos das Brumas, uma força não-sentiente que apaga temporariamente – e por vezes permanentemente – as memórias do Sonho das mentes Banais .

O Glamour, cada vez mais escasso, pode ser extraído de várias maneiras. Através das Epifanias, ou devido à permanência em Propriedades Livres. Este necessidade é sempre valorizada pelas fadas, independentemente da sua Corte ou Aspecto. Conseguir ter acesso a tal energia, contudo, é cada vez mais difícil, devido não só à proliferação de pessoas cada vez mais Banais com também devido ao fim cada vez mais generalizado dos sonhos e da inocência.

Dando-lhe agora uma vista de olhos não estou muito contente com os termos Propriedades Livres e Lumieiro. Mas também não tenho uma ideia de como os traduzir neste preciso momento.

Para quem não conhece este texto é acerca de um jogo de RPG chamado Changeling: the Dreaming da White Wolf Game Studios que já está descontinuado. O seu sucessor espiritual é o Changeling: the Lost que ainda é mais brilhante que o antecessor.

Encontros & Desencontros: Report da LeiriaCon e do TáQuinas D&D Gameday

Bem, passados alguns meses desde a LeiriaCon 2010 (esta ocorreu a 30 e 31 de Janeiro na Quinta do Pinheiro, perto de Alcobaça) e algumas semanas desde o D&D Gameday em Coimbra organizado pelo grupo TáQuinas (a 20 de Março deste ano) eis que me decidi a relatar por escrito as minhas impressões e conclusões acerca dos dois eventos, especialmente no seu papel de divulgação e promoção do RPG.

Continuar a ler

Sopa do RPG no podcast do Jogador-Sonhador

Depois de tanto falar em se fazer um podcast Português de RPG a mais do que uma voz (o pessoal do Taquinas acabaram por o fazer primeiro!) e na minha predisposição em fazê-lo eis que o Ricardo Tavares do Jogador-Sonhador me convidou para fazer um episódio acerca do evento de RPGs que organizámos na LeiriaCon 2010 e do Warhammer Fantasy Roleplay 3rd Edition.

Para quem possa estar curioso acerca de como as coisas correram aconselho-vos vivamente a ouvirem este episódio como também um dos episódios anteriores onde o Ricardo ilustra a sua perspectiva pessoal do evento e faz uma apresentação dos jogos que jogou.

Nos primeiros 7 minutos falámos da LeiriaCon e depois logo em seguida surge uma surpresa inesperada enquanto estava a falar do meu primeiro contacto com o Warhammer. Falámos das razões que me levaram a comprá-lo e das minhas expectativas. Falámos do que acho que seja a mais valia do universo do Warhammer e deste novo sistema de jogo. Entrámos em grande detalhe quanto aos componentes e algumas mecânicas inovadoras. Até fizemos comparações entre este e o D&D 4th Edition num dado momento onde acabei por falar do plano da Wizards of the Coast de lançar uma nova Caixa Vermelha e a linha Essentials para a presente edição de Dungeons & Dragons. E eu expus a minha teoria de que esta medida vêm um pouco em seguimento do sucesso do WHFRPG3.

De qualquer modo é de assinalar também o tom metálico que de vez em quando o Skype dá à minha voz, o telefonema de um dos jogadores do meu grupo de RPG que interrompe a conversa e os miados do gato e o ruído das limpezas cá em casa. 🙂

Se quiserem comentem aqui ou no site do Jogador-Sonhador no podbean as vossas impressões acerca do podcast.